Irashaimasse... Este espaço é "irmão" da comunidade Movimento Dekassegui no Japão. Chamei-a assim porque há muitos dekasseguis (pessoas que saem de sua terra natal para trabalhar temporariamente em outro lugar) e eu faço parte desta comunidade de filhos e netos de japoneses que migraram para o Brasil. Domo arigato gozaimasu. zanguio.com.br

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Ministro sugere visto de trabalho de três anos

Medida incluiria estagiários estrangeiros, que seriam considerados trabalhadores não qualificados
Tokyo - ipcdigital.com
Em meio à polêmica que surgiu desde que os meios de comunicação revelaram as condições desumanas às quais são submetidos alguns estagiários estrangeiros, o ministro da Justiça Jinen Nagase propôs, no dia 15, uma reforma no sistema de contratação de estrangeiros.
O ministro sugeriu a introdução de um sistema que permita a concessão de vistos de três anos a trabalhadores estrangeiros não qualificados.
A medida será discutida em breve entre Nagase e os responsáveis pelo Departamento de Imigração.
Algumas das propostas feitas por Nagase:
Todas as entidades que forem aceitar estagiários estrangeiros sob o Programa de Aprendizado devem ser aprovadas pelo governo. As mesmas serão autorizados a buscar candidatos para vagas de trabalho e apresentá-los a empresas interessadas
O Programa de Aprendizado atual - que estaria obrigando os estagiários a trabalhos sob condições desumanas - seria eliminado. Alguns programas, no entanto, poderão continuar, como os cursos de idioma japonês, mas o sistema em si precisa ser reformado
Nagase destacou que as sugestões são pessoais e que a Imigração não deve considerá-las como uma ordem. Explicou, no entanto, que para “garantir a mão-de-obra necessária para o país” seria imprescindível melhorar as condições dos estrangeiros.
As opiniões divergem no seio da política japonesa. O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar já deu sinais de que é a favor do fim do sistema de contratação de estagiários estrangeiros, enquanto o Ministério das Finanças acredita na necessidade de reformas na lei de imigração atual, pois o país não pode prescindir da mão-de-obra estrangeira. O Ministério da Justiça não fez nenhuma declaração oficial.

Entenda a polêmica:

Postar um comentário