Irashaimasse... Este espaço é "irmão" da comunidade do orkut Movimento Dekassegui no Japão. Chamei-a assim porque há muitos dekasseguis (pessoas que saem de sua terra natal para trabalhar temporariamente em outro lugar) e eu faço parte desta comunidade de filhos e netos de japoneses que migraram para o Brasil. Domo arigato gozaimasu.

sábado, 24 de março de 2007

Como fica o planejamento financeiro da família dekassegui?


Nesta semana uma discussão que considerei muito pertinente aconteceu na comunidade que modero no orkut –e que tem como participantes pessoas interessadas em ajudar os dekasseguis, novos ou antigos. O tema era Fluxo de Caixa Familiar, tratando dos casais ou famílias que moram no Japão como dekasseguis.

A princípio ninguém queria contar como anda o “okane” em sua família, dekasseguis aprendem a ser pouco ufanistas no que diz respeito aos seus ganhos, ainda mais depois dos casos das famílias que sofreram atos violentos em São Paulo em 2005 e 2006, sendo assaltadas em casa quando seus parentes retornaram de um período no Japão. Mas encontramos um jeito de contar e achei pertinente repetir aqui a fórmula encontrada.

Segundo um dos membros, Carlos, “uma regra simples que muitos casais usam sem falar em cifras é que o salário da esposa paga as despesas gerais e o salário do marido é para gastos-extras ou poupança.”

Remeti-me à minha própria experiência, que é minha “baliza” quando modero a comunidade e atendo a dekasseguis. Quando morei no Japão as mulheres ainda não trabalhavam yakin (turno noturno), era só hirukin (turno diurno) e na maior parte do tempo eu fazia pouca ou nenhuma hora-extra. Ainda assim, sempre conseguimos guardar o salário integral do meu esposo, claro, depois de terminar de pagar o financiamento. O segredo, com sinceridade, é uma coisa que faço até hoje: ao receber pago as contas, separo o valor para mercado e passeios até o final do mês e o restante eu guardo para não ficar fácil de gastar. Qualquer coisa sempre podemos usar a poupança, mas é melhor guardar antes que deixar para ver quanto sobra no final do mês. Nas vezes que fiz isto não guardei nada!
Falei nos turnos noturno e diurno. O turno noturno tem adicional de 25% sobre o valor do salário. Como relembrou a Erica na comunidade, os trabalhadores brasileiros no Japão não são mensalistas, são horistas. Ou seja, só recebem se trabalharem. “A maioria dos brasileiros é considerado como mão de obra terceirizada temporária e mesmo que trabalhe por 10 anos na mesma fábrica, quase sempre é intermediado por empreiteiras, que pagam por hora trabalhada. Sem folgas remuneradas, sem férias, sem algumas coisas que temos no Brasil. Quem está contratado de forma mais “estável” (como “shain”), terá direito a yukiu (folga remunerada), mas não é no mesmo formato que conhecemos no Brasil.

Sobre o zangyo (horas-extras)

Outro membro contribuiu informando sobre os salários médios para homens e mulheres com 3 a 4 horas–extras por dia e sem horas-extras, para dar uma noção a quem não foi ainda:

Salário médio mensal

Com zangyo

(3 a 4h/dia)

Sem zangyo

Homens

330 mil

220 mil

Mulheres

200 mil

140 mil

Total

530 mil

360 mil

Segue aqui um esquema dos gastos médios de uma família, para dar uma idéia:

Despesas médias por mês
(casal e dois filhos)

Item

Valor

Aluguel

60 mil

Alimentação

60 mil

Escola

80 mil (40 mil por filho)

Convênio médico

35 mil

Gás

15 mil

Luz

6 mil

Água

4 mil

Total

260 mil

Obs: Se tiver carro, considere 3 mil por semana de combustível e licenciamento a cada dois anos de 70 mil ienes.

Enfim, no Japão, ou no Brasil, o importante é ter metas em comum (no caso do casal) e conseguir sempre visualizar os custos, de forma franca e objetiva, se possível criando uma planilha para organizar as despesas no papel. A revista Época afez uma ampla reportagem sobre o tema na edição de 29 de janeiro de 2007, que pode até ser útil para quem está no Japão considerar como estão estes gastos com educação, saúde, banco, no Brasil.

A Erica, que é mãe de 3 meninas, considerou alguns pontos sobre escola:

“No caso dos gastos com escola, a mensalidade é de 50 mil por filho (escola brasileira) e 6 mil (escola japonesa).

Creche cobra 50 mil por criança (creche brasileira) e 5 a 40 mil por criança (creche japonesa, que considera uma % da renda familiar).

Se optar por creche ou escola japonesa para economizar....
Tenha em mente que elas não atendem sábados, muitas não tem horário extendido (precisa se perto do trabalho) e o principal: se a criança fica mal a direção nliga pedindo que busque o filho.
Feriados? Escola e creche japonesas não funcionam em feriados... mas muitas fábricas funcionam.
Ou seja, a mãe precisa trabalhar em serviço flexível, que permita essas saídas esporádicas e essas faltas em feriados e dias de atividades coletivas na escola/creche.

Passo-a-passo para economizar
Siga os passos abaixo e veja como obter um resultado positivo no final do próximo mês.
Passo 1 - Visualização de custos
Economizar é aprender a gastar com mais eficiência. Para isso, é preciso por as despesas no papel. Com uma planilha de custo fica mais fácil controlar.
Passo 2 - Estabeleça metas
Qual a sua renda mensal? A partir de seu rendimento, quanto você pretende economizar por mês? Os especialistas recomendam fixar um valor do que guardar apenas o que sobrar no fim do mês. Quem esperar guardar só o que sobrar corre o risco de não ter nada. A meta diz que é preciso economizar 10% do salário por mês. Para o padrão dos salários dos dekasseguis (250 mil ienes), o ideal seria poupar 40% (100 mil ienes). Mas há os que economizam até 70% do salário.
Passo 3 - Corte de custos
Se o salário diminuir e você quiser guardar o mesmo valor, só há uma alternativa: corte de custos. Para saber o que cortar, eleja o que é prioritário entre suas despesas. Você pode descobrir que há gastos que podem ser reduzidos ou eliminados.
Passo 4 - Otimização de custos
Refletir sobre seus gastos é uma boa oportunidade para verificar se não é possível otimizar seus custos. Busque alternativas.
Passo 5 - Tenha objetivos
Você sabe o que fazer com o dinheiro economizado? Ou está apenas economizando para "garantir o seu futuro"?
O que vai adiantar guardar dinheiro, mas sem ter um planejamento do que fazer? A pergunta que cada brasileiro deveria saber responder é: quanto tempo você vai precisar trabalhar para guardar o suficiente para cumprir o seu objetivo final? Sem saber responder isso, a economia em si perde o sentido.