Irashaimasse... Este espaço é "irmão" da comunidade Movimento Dekassegui no Japão. Chamei-a assim porque há muitos dekasseguis (pessoas que saem de sua terra natal para trabalhar temporariamente em outro lugar) e eu faço parte desta comunidade de filhos e netos de japoneses que migraram para o Brasil. Domo arigato gozaimasu. zanguio.com.br

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Estude japonês em português

do ipcdigital.com

Editora japonesa lança livros de estudo para o exame de proficiência com tradução em português

As provas de proficiência em língua japonesa acontecem no dia 2 de dezembro em todo o Japão e em diversos países, inclusive no Brasil. Para os brasileiros que vivem no Japão e se inscreveram para o exame, a editora japonesa Ask, acaba de lançar dois livros com tradução em português e inglês dos exercícios e dicas de estudo para os exames de nível 3 do nooryoku shiken.

A editora Naoko Takahashi, uma das responsáveis pelo projeto, explica que esses são os primeiros livros publicados pela empresa com tradução em língua portuguesa. Ela acredita que um dos motivos do crescente número de brasileiros interessados em estudar a língua japonesa pode estar relacionado ao comentário que surgiu no ano passado, de que a entrada de estrangeiros no Japão seria limitada para pessoas que entendessem o básico do idioma. "Acho que após esse episódio, aumentou o número de brasileiros interessados em estudar japonês, por isso a procura por material em português", avalia.

A primeira edição, publicada no mês de agosto, traz questões para praticar a gramática e a leitura básica da língua japonesa. Já o segundo livro, lançado em setembro, oferece exercícios e explicações sobre a escrita de 290 kanji, ideogramas da escrita japonesa, além de vocabulários que poderão ser cobrados na prova de nível 3.

O custo de cada livro é de ¥ 1.350 (mais o imposto) e está disponível nas principais livrarias do Japão. O material é vendido apenas em território japonês. A editora Ask ainda não tem previsão de lançar outras versões traduzidas para o português. "Primeiro queremos ver como vai ser a aceitação do público para então pensarmos em outros projetos nesse idioma", ressalta o editor-chefe da editora Tsutomu Umesaki
Postar um comentário