Irashaimasse... Este espaço é "irmão" da comunidade Movimento Dekassegui no Japão. Chamei-a assim porque há muitos dekasseguis (pessoas que saem de sua terra natal para trabalhar temporariamente em outro lugar) e eu faço parte desta comunidade de filhos e netos de japoneses que migraram para o Brasil. Domo arigato gozaimasu. zanguio.com.br

domingo, 18 de março de 2007

Câmara Municipal de Curitiba homenageia Claudio Seto

do Paraná Shimbum

Câmara Municipal de Curitiba homenageia Claudio Seto

Denise Somera
Seto foi ao Japão aos 9 anos de idade e estudou noTemplo Myoshinji, em Kyoto

No dia 15 de março a Câmara Municipal de Curitiba deu a Cláudio Seto o título de Cidadão Honorário de Curitiba. Conhecido na comunidade japonesa da cidade, é difícil descrever Seto em uma só profissão. Ele é jornalista, fotógrafo, organizador há mais de 10 anos dos matsuris da capital, quadrinhista, chargista, primeiro brasileiro a desenhar e publicar mangás (na década de 60), pesquisador da cultura japonesa e também da imigração no Brasil, sem contar seu trabalho como artista plástico e aprendizado em várias artes tradicionais japonesas.
O currículo de Cláudio Seto é vasto, assim como seu conhecimento sobre as tradições, mitologia e cultura japonesa. Nasceu em 1944 em Guaiçara, cidade que o homenageou como Comendador em novembro do ano passado. Lá, Seto foi vereador e presidente da Câmara entre 1972 e 1973. Para receber a homenagem em Curitiba, Cláudio Seto (que foi batizado como Chuji Seto Takeguma) foi indicado pelo ex-vereador e atualmente deputado estadual Rui Hara, que considera importantíssima sua contribuição para a cultura e para a comunidade japonesa da cidade. “O Seto é referência na comunidade nipo-brasileira de Curitiba, trabalhando na divulgação das nossas tradições e hábitos. Hoje somos considerados referência nos matsuris graças ao seu trabalho”, diz Hara.
O jornalista é conhecido por seu bom humor, simpatia e trabalho pela comunidade. Conforme o site de cultura pop Omelete, Seto também será homenageado com um documentário, com o foco na sua produção em quadrinhos (ele é autor de diversos personagens, como Maria Erótica, Katy Apache, O Samurai de Curitiba, entre outros). A editora Mythos, também de quadrinhos, estuda a possibilidade de lançar um álbum com as histórias de Seto publicadas nos anos 70.

História – Cláudio Seto foi morar no Japão com 9 anos e lá, durante 3 anos, estudou noTemplo Myoshinji, da seita Zen, em Kyoto. Nos finais de semana, visitava em seu estúdio Osamu Tezuka, “o pai do mangá”. Voltou ao Brasil com 17 anos e trabalhou em São Paulo na Editora Edrel, publicando histórias de ninjas e mangás, antes mesmo destes termos serem conhecidos no Brasil. Na década de 70 veio para Curitiba, onde reside até hoje. Foi colunista e colaborador do jornal Paraná Shimbun por vários anos e atualmente é editor do jornal Garça da Sorte e Planeta Zen, além de pesquisador no censo da comunidade nipo-brasileira, em parceria com a jornalista Maria Helena Uyeda e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Postar um comentário