Irashaimasse... Este espaço é "irmão" da comunidade do orkut Movimento Dekassegui no Japão. Chamei-a assim porque há muitos dekasseguis (pessoas que saem de sua terra natal para trabalhar temporariamente em outro lugar) e eu faço parte desta comunidade de filhos e netos de japoneses que migraram para o Brasil. Domo arigato gozaimasu.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Exposição sobre Imigração Japonesa em Indaiatuba


Acabo de ler esta notícia no Portal Novidade - Informação e Bons Negócios de Indaiuba, interior de São Paulo. Lembrou-me a blogueira nikkei Luma Kimura, que mora lá.
Tenho amigos nikkeis que moram em Indaiatuba e igualmente parentes de amigos que optaram por ir para aquela cidade, que é nova e foi considerada uma das melhores para se viver. O tamanho médio (174.000 habitantes segundo dados de 2007), situa-se a apenas 90 km da capital paulista e 25 km de Campinas! Mas a proximidade com o Aeroporto Internacional de Viracopos (só 10 km) e a boa infra-estrutura e bons indicadores de qualidade de vida é que tem levado muita gente a optar por esta cidade para viver.
A imigração faz parte da história da cidade, como no geral nas cidades do interior paulista, seguindo a tradição de suas etnias, dedicando-se à agricultura, comércio, oficinas e manufaturas. A partir do final do século XIX Indaiatuba recebeu muitos imigrantes da Suíça, Alemanha, Itália, Espanha e, já no século XX, imigrantes do Japão. Segundo a wikipedia, "com sua economia dividida entre a cultura de café e batata e algumas pequenas fábricas, a cidade cresceu pouco na primeira metade do século XX. Em 1950 havia 11.253 habitantes no município. Em 1964 eram 22.928. A partir daí o crescimento acelerou-se, baseado principalmente na expansão da indústria e de serviços. Em 1991 o censo registrou 92.700 habitantes, número que em 2000 saltou para 146.829, e continua crescendo."
Entrei no site do Museu do Casarão Pau Preto e me surpreendi ao ver como a história do lugar é ligada à comunidade nikkei! As imagens que ilustram este post são de lá e mostram como o espaço foi evoluindo até chegar ao museu atual, das festas da Colônia Japonesa de Indaiatuba, nas imagens sempre com a tulha de café e a caixa d'água da fazenda Pau Preto ao fundo.
Abaixo a nota sobre a exposição em homenagem à imigração japonesa:
Centenário da imigração japonesa é tema de exposição

O ano de 2008 marca o centenário da imigração japonesa ao Brasil. Foi em 18 de junho de 1908 que o navio Kasato Maru atracou em Santos, trazendo 781 pessoas. Um pouco da cultura desta nação pode ser conferida no Museu do Casarão Pau Preto, até o mês de junho. A iniciativa é da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba e faz parte dos eventos comemorativos dos 100 anos da Imigração Japonesa, promovidos pela Prefeitura de Indaiatuba. “Demonstrar, ao menos um pouco, o quanto esta colônia fez por esta terra é a nossa proposta. Ao longo deste ano, estão programados diversos eventos alusivos ao centenário da imigração japonesa”, enfatiza o prefeito de Indaiatuba e presidente do Con-selho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Campinas (CD-RMC), José Onério da Silva.

Segundo o superintendente da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba, Marcelo Alves Cerdan, a mostra foi montada a partir de uma parte do acervo do Museu, que representa a cultura japonesa na cida-de de Indaiatuba. “Temos poucos itens em nosso acervo, porém os painéis contêm informações muito importantes e significativas sobre a saga desses imigrantes”, completa o superintendente.

Serviço:
O Museu do Casarão Pau Preto
Rua Pedro Gonçalves, 477, Jd. Pau Preto
tel.: 19 3875-8383
Horário de visitação: todos os dias das 9h às 21h.