Irashaimasse... Este espaço é "irmão" da comunidade Movimento Dekassegui no Japão. Chamei-a assim porque há muitos dekasseguis (pessoas que saem de sua terra natal para trabalhar temporariamente em outro lugar) e eu faço parte desta comunidade de filhos e netos de japoneses que migraram para o Brasil. Domo arigato gozaimasu. zanguio.com.br

domingo, 29 de julho de 2007

Ex-dekasseguis morrem no acidente da TAM

Márcio de Andrade e Melissa Ura moraram no Japão entre 2002 e 2005, quando voltaram para o nascimento da filha

do IPC Digital - ipcdigital.com
Homenagem de uma amiga da família a Melissa, Alanis, Márcio e André
Homenagem de uma amiga da família a Melissa, Alanis, Márcio e André ( )

Homenagem de uma amiga da família a Melissa, Alanis, Márcio e André



Entre as vítimas do acidente envolvendo o Airbus-A320 da TAM no dia 17, estavam três ex-dekasseguis de uma mesma família: Márcio Rogério de Andrade, 35, a esposa Melissa Ura, 29, André Ura, 25, irmão de Melissa e, Alanis, de 2 anos, filha de Melissa e Márcio.

A ex-dekassegui Melissa Ura residia em Birigüi, interior paulista. No ano de 2001, casou-se com Márcio Rogério, ex-jogador profissional do Bandeirante, time da cidade. Em 2002, ela resolveu arrumar as malas e tentar a sorte no Japão juntamente com o marido. Como Márcio havia sido jogador de futebol, ele conseguiu um emprego em uma escolinha de futebol na cidade de Kawasaki, onde dava aulas. Enquanto isso, Melissa trabalhava em uma fábrica de alimentos. Em 2005, o casal resolveu voltar definitivamente ao Brasil, pois Melissa estava grávida da filha Alanis. Após o retorno, Márcio começou a atuar como empresário de jogadores.

Bastante abalados, parentes da ex-dekassegui ainda estão perplexos com a perda inesperada de quatro pessoas da família. "Estamos muito chocados e ainda não conseguimos acreditar como uma coisa dessas aconteceu", ressalta Davson Roberto Ura, primo de Melissa.


Viagem

Márcio se deslocou para Porto Alegre aproximadamente duas semanas antes do acidente para tratar de negócios. A esposa Melissa viajou no dia 13 de julho, juntamente com a filha e o irmão para encontrá-lo. A intenção era retornarem juntos para a cidade de Birigui.

"No último contato que tive com Melissa ela estava um pouco triste, pois não poderia participar de uma festinha que a família faria no sábado. Ela estava acostumada a viajar de avião, pois já tinha ido ao Japão para trabalhar. Mas dizia que tinha medo dos momentos de aterrissagem e decolagem do avião", afirma o primo da ex-dekassegui.

O irmão de Melissa, André Ura, também havia trabalhado por um ano como dekassegui, entre 2003 e 2004. Vários familiares de Melissa ainda continuam em terras japonesas. A mãe, ao saber do acidente, decidiu voltar do Japão, onde estava trabalhando em Yokohama (Kanagawa), para acompanhar o velório. Os corpos seriam velados primeiramente em Monte Aprazível, cidade natal de Márcio, e posteriormente trasladados para Birigüi.

Na quinta-feira (19), parentes de vítimas do Acidente da TAM estiveram no Instituto Médico Legal (IML) para tentar o reconhecimento do corpo. Mas o trabalho é difícil em função do estado dos corpos. Segundo estimativas do IML, a identificação das vítimas não deve ser concluída em menos de um mês.


:: Sobe para 11 as vítimas nikkeis do vôo 3054 ::


  • Akio Iwasaki - 70, era gerente nacional de vendas da Monange, empresa em que trabalhava havia 30 anos. Deixa mulher, dois filhos e dois netos.
  • Alanis Ura de Andrade - 2, filha de Márcio de Andrade, 35, e de Melissa Ura, 29, que também morreram.
  • André Ura Doná - 25, cunhado de Márcio Rogério Andrade, irmão de Melissa Ura e tio de Alanis, de 2 anos, que também estavam no vôo da TAM.
  • Ciro Numada - 47, casado, dois filhos. Era diretor administrativo-financeiro de uma concessionária de carros .
  • Enrico Shiohara - 31, casado, funcionário da empresa de tecnologia Vignette. Retornava para casa após uma demonstração de produtos em Porto Alegre.
  • Heurico Tomita - 51, engenheiro civil, morava em Maringá (PR) e era dono da empresa Consolit Engenharia e Sistemas Construtivos e diretor do Sindimetal (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Maringá). Voltava de uma viagem de trabalho. Era casado e deixa dois filhos.
  • Mariana Suzuki Sell - 30, advogada, natural da cidade de Campos (Rio de Janeiro). Filha de uma tradicional família da cidade, a jovem estudou em alguns países e chegou a ser bolsista na Universidade de Kyoto, no Japão, entre os anos de 2001 e 2003. Trabalhava na área de Direito Ambiental.
  • Melissa Ura - 29, esposa de Márcio Rogério Andrade, moradora de Birigüi (São Paulo), mãe de Alanis, de 2 anos, e irmã de André Ura, 25, também vítimas.
  • Mirtes Suda - 50, solteira, sem filhos, era natural de São Paulo e fazia parte da assessoria técnica da Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química).
  • Rogério Sato - 28, solteiro, funcionário do Banco Real, atendia a área de recuperação de crédito e fazia viagens rotineiras a Porto Alegre.
  • Vanda Ueda - 42, professora de Geografia do Departamento de Geociências da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Natural de Urânia (São Paulo), Vanda havia se mudado para Porto Alegre há 8 anos para lecionar na universidade.
Postar um comentário