Irashaimasse... Este espaço é "irmão" da comunidade Movimento Dekassegui no Japão. Chamei-a assim porque há muitos dekasseguis (pessoas que saem de sua terra natal para trabalhar temporariamente em outro lugar) e eu faço parte desta comunidade de filhos e netos de japoneses que migraram para o Brasil. Domo arigato gozaimasu. zanguio.com.br

Mostrando postagens com marcador vistos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador vistos. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Visto de yonsei



Boa notícia para os yonseis, bisnetos de japoneses.

O Ministério da Justiça solidificou a política de introdução de um novo sistema de visto para que os descendentes de quarta geração (yonsei) que cumpram alguns requisitos, tais como certo nível de compreensão do idioma local, possam trabalhar no Japão.

Segundo o jornal Yomiuri, nessa fase introdutória a intenção é permitir a entrada de cerca de mil pessoas por ano.

No novo sistema, a intenção é fazer com que o yonsei tenha interesse pelo Japão e se aprofunde na cultura nipônica.
O objetivo é a formação de recursos humanos que possam servir de ponte entre a comunidade nikkei onde vive e a sociedade japonesa.

Saiba alguns detalhes:
  • O sistema proposto é o working holiday, como há em outros países, onde se obtém a permanência enquanto trabalha.
  • A faixa etária alvo e limitada é entre 18 a 30 anos.
  • Para sua estadia será concedido um status de residência chamado tokutei katsudo (特定活動) ou traduzido livremente para o português como atividade específica.
  • Para a implementação, o candidato será submetido a um teste de conhecimento do idioma, equivalente ao teste de proficiência nível 4.
  • Para a renovação do status de residência, a condição é ter conhecimento do idioma japonês, equivalente ao teste de proficiência nível 3.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Imposto vira requisito para renovar visto no Japão - Jornal Tudo Bem

Imposto vira requisito para renovar visto no Japão
Jornal Tudo Bem

Imposto vira requisito para renovar visto no Japão

Inadimplentes não poderão ficar no arquipélago japonês a não ser que paguem os tributos e obtenham o comprovante de pagamento do imposto residencial

por Claudio Endo, de Shizuoka

19.01.2008

Além de apresentar um atestado de antecedentes criminais, o Japão criou mais um requisito para conceder a renovação de vistos de nikkeis e seus cônjuges. Agora, é preciso anexar aos documentos o comprovante de pagamento do imposto residencial (kazei shoumeisho), tanto para nissei, quanto para sansei. Até então, esse comprovante era exigido apenas do sansei que entrava com pedido de visto permanente.

A idéia de vincular o pagamento do imposto residencial (juuminzei) à concessão do visto partiu do governo de Shizuoka, que em 2006 levou uma proposta ao Ministério da Justiça. Foi sugerida uma alteração na Lei de Imigração, tornando obrigatória a apresentação do comprovante – não apenas em Shizuoka, mas em todo o arquipélago. O governo central, então, decidiu acatar o pedido.

Com essa medida, o Japão quer reduzir o número de inadimplentes estrangeiros. Segundo um levantamento da província de Shizuoka, em algumas cidades como Kikugawa, Kosai, Omaezaki, Kakegawa e Arai a proporção de estrangeiros que devem imposto residencial fica entre os 30% e 50%, em relação ao número total, incluindo japoneses.

Segundo Kouzou Suzuki, chefe do setor de impostos da prefeitura de Hamamatsu (Shizuoka), os estrangeiros da cidade deixam de pagar por ano cerca de 300 milhões de ienes e o índice de inadimplência chega a 44%, sendo que a maioria do grupo de devedores é formada por brasileiros.

O imposto residencial e o sobre veículos (jidoushazei), excluindo os de placa amarela, são de responsabilidade da província. No juuminzei, uma parte da arrecadação é absorvida pelo município. Nos últimos anos, o governo tem feito várias campanhas para incentivar o pagamento dos impostos, mas elas limitam-se aos japoneses, já que muitos estrangeiros não compreendem o idioma. A saída encontrada foi a reforma na lei.

Para Suzuki, a nova medida contribui para a diminuição do índice de inadimplência. Porém, muitos estrangeiros já contam com o visto permanente e estes, teoricamente, não são afetados. Segundo a prefeitura, dos 19.473 brasileiros registrados, 6.918 têm visto permanente e 12.198 contam com visto de longa permanência, dependendo da renovação periódica.

Emitido pelos municípios, o kazei shoumeisho custa, em Hamamatsu, 350 ienes e pode ser solicitado nas sub-prefeituras. Para fazer o pedido de terceiros, é preciso ter uma procuração, cujo formulário está disponível na prefeitura. As pessoas que têm o imposto residencial descontado do salário devem solicitar o hikazei shoumeisho, comprovando que estão em dia com os tributos.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Governo planeja exigir nihongo para visto

O tema já foi discutido amplamente no início de 2007, mas nada efetivo aconteceu. Agora volta à baila o tema da exigência do domínio da língua japonesa para tirar e renovar o visto e, segundo matéria do Jornal Tudo Bem que posto abaixo, a decisão será anunciada ainda neste ano. O jornal prometia matéria completa na sua edição impressa lançada no dia 18/01 no Japão.
Governo planeja exigir nihongo para visto
Está sendo estudada a exigência do domínio da língua japonesa para tirar e renovar visto; decisão será anunciada ainda neste ano
por Cláudia Emi, de Tokyo

Um pronunciamento na TV feito terça-feira 15 pelo ministro das Relações Exteriores japonês, Masahiko Komura, ressuscitou um assunto que a comunidade brasileira pensava estar enterrado: o domínio da língua japonesa como um dos itens obrigatórios para se obter e renovar o visto de longa permanência no Japão.

Em 2006, o arquipélago contava com mais de 312 mil brasileiros. Desses, 234 mil seriam afetados com a mudança – número de portadores do visto de longa permanência. A alteração refletiria no mercado de trabalho e na contratação de mão-de-obra brasileira no Japão, além de novos dekasseguis no Brasil.

O grupo que estudará os prós e os contras da proposta será formado por membros do Ministério das Relações Exteriores e da Justiça. Embora ainda em estado embrionário, a maneira como será feita a avaliação do idioma não está definida, mas deverá provocar polêmica e incomodar a comunidade brasileira.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Em um mês, 95 estrangeiros foram barrados no Japão

do ipcdigital.com

A fila de espera para realizar os registros de impressões digitais e fotos demora cerca de meia hora

Desde 20 de novembro, data em que a Imigração japonesa começou a realizar os registros de impressões digitais nos aeroportos, um total de 95 estrangeiros tiveram a entrada recusada no Japão. O tempo de espera dura entre 26 a 39 minutos, mas Imigração pretende diminuir "para menos de 20 minutos", informou hoje (26) o jornal Mainichi.

As impressões digitais são contrastadas com uma lista geral de 800 mil registros, além de 14 mil procurados pela polícia. Dos 95 estrangeiros barrados nos aeroportos, 94 faziam parte de uma lista de deportados. Desses, 77 haviam alterado dados como nome ou data de nascimento nos passaportes, enquanto outros 17 estavam com passaportes falsificados.

Apenas um estrangeiro foi barrado por fazer parte de uma lista de procurados pela polícia.

A Imigração não registrou nenhum caso de estrangeiro que se recusou a registrar as impressões digitais.

Saiba mais:

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Entenda o fichamento de brasileiros no Japão

Jornal Tudo Bem - Entenda o fichamento de brasileiros no Japão

Entenda o fichamento de brasileiros no Japão
Registrar tanto a impressão digital, quanto a fotografia, é simples, mas pode acarretar em fila de espera

Os brasileiros que entrarem no Japão a partir de 20 de novembro terão que deixar suas impressões digitais e fotografia registradas na Imigração, no momento do desembarque no aeroporto. A medida, promulgada em março de 2006, visa barrar a entrada de terroristas no arquipélago e afetará todos os estrangeiros, não importa a nacionalidade.

O procedimento é bem simples, mas o problema maior no início da implantação do sistema pode ser a fila de espera. Todos os brasileiros com idade acima dos 16 anos terão de passar pelo procedimento, não importa o tipo de visto que possuam, se são portadores do re-entry ou se são considerados cidadãos japoneses.

Os únicos que estão liberados do procedimento obrigatório são os portadores de visto permanente especial, categoria na qual os brasileiros não se encaixam (ver detalhes ao lado), profissionais que estão no país com status de residência como diplomata ou oficial do governo e estrangeiros convidados por órgãos do governo japonês.

Para os brasileiros, a medida não causa problemas maiores a não ser a fila de espera, mas a notícia foi mal recebida pela imprensa estrangeira no Japão, como ficou claro na entrevista coletiva de quarta-feira 24, em Tokyo, com representantes da Imigração.

Uma das principais queixas recai sobre a exigência do fornecimeto de dados pessoais somente pelos estrangeiros, colocando todos como potenciais terroristas. Vale lembrar que um dos mais recentes atentados cometidos no arquipélago, com gás sarin no metrô da capital japonesa, foi organizado por membros da seita Aum, todos japoneses religiosos fanáticos. A segunda queixa é quanto à inconstitucionalidade, como apontou uma das maiores associações de advogados do Japão, a Japan Federation of Bar Associations. Além de ferir a Constituição do Japão, também é contra o que está previsto nos termos que rege os Direitos Civis e Políticos internacionais.

O procedimento da coleta de impressões digitais não é exclusiva ao Japão. Ele já é adotado em aeroportos americanos, desde o atentado que colocou no chão as duas torres do World Trade Center, e sabe-se que a União Européia também estuda implantar o mesmo sistema, apesar de não ter divulgado nada oficial.

TIRE SUAS DÚVIDAS

1 Para quem vale a mudança?
Todos brasileiros com idade acima dos 16 anos

2 Quem não precisa registrar suas impressões digitais e fotografia?
Portadores do visto de residentes permanentes especiais (na maioria, chineses, coreanos e taiwaneses nascidos fora do Japão antes da Segunda Guerra Mundial e cujos pais são japoneses), profissionais que estão no país com status de residência como diplomata ou oficial do governo e estrangeiros convidados por órgãos do governo japonês

3 A medida vale apenas para aeroportos com vôos internacionais?
Não, também será feita nos portos japoneses que recebem navios de rotas internacionais

4 Moro no Japão, mas viajarei ao Brasil. O que preciso apresentar ao retornar ao arquipélago?
Passaporte, re-entry e cartão de desembarque são pedidos pela Imigração. É bom levar o gaikokujin toroku

5 Como é o registro das impressões digitais e da foto?
Basta seguir as orientações exibidas em um terminal dentro das cabines já instaladas no Aeroporto Internacional de Narita. O terminal também indicará ao passageiro, quando a fotografia será tirada

6 Posso recusar e não ser “fichado”?
Não, quem se recusa será brigado a voltar ao país de origem – não vai entrar no Japão

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Renovação do visto de nissei mestiço

Estou pedindo licença à Erica, do Burajiru, para replicar aqui o post dela sobre renovação de visto. Importante contar como está sendo na prática esta renovação, porque muita gente fica em dúvida sobre o processo.
Domo arigatô, Erica.

"Parece que foi ontem que cheguei aqui no Japão, e em novembro já irá completar um ano que aqui estou novamente.
Sou filha de pai japonês e mãe brasileira, portanto nissei (apesar de mestiça), porém nessa última vez eu havia pedido o visto de Long Term Resident (Teijusha, 定住者)através dos documentos de meu marido, também nissei. Estávamos com pressa em chegar ao Japão, e os documentos dele estavam todos em dia, na mão. Os meus documentos necessitariam ainda serem pedidos, koseki do meu pai, documentos do meu pai e mãe, prá não perder tempo pedi meu visto com os documentos dele mesmo.

Como esposa de nissei, o Consulado japonês no Brasil me concedeu o visto de um ano, e três anos para minhas filhas sanseis. Por isso, estou em processo de renovação junto ao Escritório de Imigração do Porto de Toyohashi.

Como Trocar o Status do Visto?

Essa foi a pergunta que me deixou um pouco desconfortável no início, mas depois vi que não havia razão: a atendente da imigração me informou que eu precisaria levar apenas a documentação para requisição do visto de nissei (Biological child of Japanese national, 日本人の実子), e preencher o formulário de troca de status (no normal, o formulário é o de extensão de status).
Outra coisa que eu não sabia: se para renovar o visto você só pode dar entrada no application 3 meses antes do vencimento do visto, para troca de status não há prazo: você pode requisitar a troca do status a qualquer momento.

Seguem abaixo a relação de documentos que a Imigração do Porto de Toyohashi (Aichi) me pediu:

  • Koseki-Tohon (戸籍)do meu pai
  • meu passaporte
  • meu Gaijin Toroku ( 外人登録)
  • carta de garantia do meu marido, pois eu não trabalho MimotoHosho 身元保証
  • atestado de trabalho dele
  • atestado de imposto retido na fonte “gensen” dele 源泉
  • atestado de rendimentos emitido na prefeitura, shotokushomeisho dele 所得証
  • certificado de registro de estrangeiro dele,GAIKOKUJIN TOROKUZUMI SHOMEISHO 外国人登録済み証

O visto demora de 5 dias a uma semana para ficar pronto, no final desse prazo você recebe um postal em casa avisando (o hagaki, ハガキ).
Assim que chegar o hagaki, você deve se dirigir ao escritório de imigração com o mesmo, teu passaporte, o selo de serviço (no caso, 4000 yenes). Se for necessário mais documentos, virá descrito no hagaki, portanto se você não sabe ler japonês é recomendado que peça ao seu empregador ou a algum amigo japonês que leia o postal para você, evitando assim que você se dirija à imigração com documentos faltando.

Neste post, usei alguns caracteres japoneses para descrever os termos em japonês, se você não tem o pacote de idiomas asiáticos instalado em seu pc/navegador web, é provável que visualize alguns caracteres estranhos no decorrer do texto."

Japão obrigará estrangeiros a registrar impressão digital

A partir de 20 de novembro, os estrangeiros serão submetidos a um novo sistema de controle nos aeroportos

Tokyo - ipcdigital.com
Obrigatoriedade exclui apenas os estrangeiros com menos de 16 anos, diplomatas, convidados do governo e portadores de visto permanente especial, no caso dos coreanos ( )

Obrigatoriedade exclui apenas os estrangeiros com menos de 16 anos, diplomatas, convidados do governo e portadores de visto permanente especial, no caso dos coreanos

O governo japonês oficializou hoje (5) a data de início do novo controle de Imigração que obrigará os estrangeiros a registrar as impressões digitais ao entrar no Japão. A partir do dia 20 de novembro, os estrangeiros com mais de 16 anos de idade, também devem permitir tirar uma foto ao passar pelo setor de Imigração.

A medida faz parte da reforma na Lei de Imigração aprovada em 24 de maio de 2006, para combater a entrada de terroristas no Japão.

Os dados registrados serão checados e os nomes daqueles que estiverem em uma “lista negra” fornecida pela Agência Nacional de Polícia serão impedidos de entrar no país. Quem recusar a fazer os registros de impressão digital ou foto corre o risco de ser expulso do Japão.

No caso dos japoneses, será criado um “portão automático” que agilizará o processo de entrada e saída do país, para todos aqueles que fizerem o registro de foto e impressão digital.

A Federação do Japão das Associações de Advogados (Nichibenren) e grupos de defesa dos direitos humanos mostram-se contrárias à medida anunciada pelo governo.

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Consulados do Japão no Brasil

Consulados

Embaixada no Brasil:
Embaixada do Japão - Brasília - DF
SES - Avenida das Nações, Q.811, lote 39
CEP 70425-900 - Brasília - DF
tel. (0xx61) 3442-4200
fax (0xx61) 3242-0738
e-mail: japao6@yawl.com.br
site: www.br.emb-japan.go.jp
Expediente: segunda a sexta-feira - 09:00 - 12:00h / 13:30 – 17:30h
Jurisdição dos assuntos consulares, entre outros: Distrito Federal, Goiás, Tocantins

Consulados no Brasil:
* Belém - PA - Consulado-Geral do Japão
Av. Magalhães Barata, 651 Edif. Belém Office Center, 7o andar
CEP 66063-240 - BELÉM - PA
tel. (0xx91) 3249-3344
fax (0xx91) 3249-3655
Jurisdição: Pará Amapá Maranhão, Piauí
e-mail: conjabel@empirenet.com.br

* Curitiba - PR - Consulado-Geral do Japão
Rua Marechal Deodoro, 630 - Edifício CCI, 18o andar
CEP 80010-010 - CURITIBA - PR
tel. (0xx41) 3322-4919
fax (0xx41) 3222-0499
Jurisdição: Paraná
e-mail: cgjcwb@terra.com.br

* Manaus - AM - Consulado-Geral do Japão
R.Fortaleza, 416 - B, Adrianópolis
CEP 69057-080 - MANAUS - AM
tel. (0xx92) 3232-2000, 3232-8582
fax (0xx92) 3232-6073
Jurisdição: Amazonas, Roraima, Rondônia, Acre
e-mail:cgjm@horizon.com.br

* Porto Alegre - RS - Escritório Consular do Japão
Av. João Obino, 467 - Petrópolis
CEP 90470-150 - PORTO ALEGRE - RS
tel. (0xx51) 3334-1299
fax (0xx51) 3334-1742
Jurisdição: Rio Grande do Sul, Santa Catarina
e-mail: cjpoa@terra.com.br

* Recife - PE - Consulado Geral do Japão
R. Padre Carapuceiro, 733, 14o andar
Edif. Empresarial Center I, Boa Viagem
CEP 51020-280 - RECIFE - PE
tel. (0xx81) 3465-9115
fax (0xx81) 3465-9140
Jurisdição: Pernambuco, Bahia, Ceará, Alagoas, Paraíba, Sergipe, Rio Grande do Norte
e-mail: cgjpnrec@veloxmail.com.br

* Rio de Janeiro - RJ - Consulado-Geral do Japão
Praia do Flamengo, 200, 10o andar
CEP 22210-030 - RIO DE JANEIRO - RJ
tel. (0xx21) 3461-9595
fax (0xx21) 2285-7717
Jurisdição: Rio de Janeiro, Minas Gerais (exceto Triângulo Mineiro), Espírito Santo
e-mail: info.cultural@japao-rio.org.br (Informações Culturais)
e-mail: bolsa@japao-rio.org.br (Bolsas de Estudo)
site: www.rio.br.em-japan.go.jp

* São Paulo - SP - Consulado-Geral do Japão
Av. Paulista, 854 - 3o andar
CEP 01310-913 - SÃO PAULO - SP
tel. (0xx11) 3254-0100
fax (0xx11) 3254-0110
Jurisdição: São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Triângulo Mineiro
e-mail: consuladogeraldojapao@nethall.com.br
site: www.sp.br.emb-japan.go.jp

sábado, 2 de junho de 2007

O que é certificado de elegibilidade?

CERTIFICADO DE ELEGIBILIDADE PARA SANSEIS E CÔNJUGES BRASILEIROS
Para casos de sanseis e cônjuges brasileiros serão exigidos pelos Consulados do Japão (exceto Consulado do Japão em São Paulo, responsável pelos estados de SP, MS, MT e triângulo mineiro) o Certificado de Elegibilidade ou Zairyu Shikaku Nintei Shomeisho que, permitirá ao passageiro requerer junto ao Consulado do Japão o visto de permanência de 01 ou 03 anos, dependendo de cada caso. Para obter o Certificado, é importante que o requerente tenha um parente no Japão, pois o certificado é liberado pela Imigração Japonesa somente através de algum parente que resida no país. O parente mais próximo servirá de fiador para aqueles que desejam obter o visto de permanência.
Para a solicitação do Certificado, serão exigidos documentos pessoais do requerente e do parente que reside no Japão.

Obs. CERTIFICADO ELEGIBILIDADE PARA CASOS EM SÃO PAULO
Os casos exigidos são para descendentes que possuem VISTO PERMANENTE ou JAPONES NATIVO, casados com brasileiro descendente ou não descendente, residente na jurisdição do Consulado de São Paulo.


Documentos necessários
Descendente
Mandar os seguintes documentos para o Japão:

  • 01 Cópia autenticada da Certidão de Nascimento;
  • 01 Cópia autenticada da Certidão de Casamento (se for casado);
  • 01 Cópia autenticada da Certidão de Casamento dos pais;
  • 01 Cópia autenticada da Certidão de Nascimento dos pais (lado descendente);
  • 01 Cópia autenticada da Certidão de Casamento dos avós (no caso de sansei);
  • 01 Kosseki Tohon original ou 01 cópia simples;
  • 02 Fotos (3 X 4, colorida, fundo branco, sem data);
  • 01 Cópia simples das páginas (1, 2, 3) do passaporte;
  • Nome, endereço, telefone de contato do parente do passageiro que reside e trabalha no Japão;
  • Atestado de antecedente criminal da Polícia Civil;
  • Atestado de antecedente criminal da Polícia Federal;

Cônjuge de Descendente
Mandar os seguintes documentos para o Japão:

  • 01 Cópia autenticada da Certidão de Nascimento;
  • 01 Cópia autenticada da Certidão de Casamento (Validade de 02 meses);
  • 01 Cópia autenticada das páginas (1, 2, 3) do passaporte;
  • 02 Fotos (3 X 4, colorida, fundo branco, sem data);
  • No caso de casamento recente sem filhos, anexar fotos do casamento e de convívio do casal.

O apresentado deverá anexar os seguintes documentos e dar entrada no centro de imigração mais próxima para solicitar o Certificado de Elegibilidade (ZAIRYU SHIKAKU NINTEI SHOMEISHO) – demora de 3 à 4 meses.
  • Cópia das páginas 1,2 e 3 todas as demais carimbadas do passaporte, inclusive o visto de entrada e Change Permit;
  • Original do Atestado de Trabalho (ZAISHOKU SHOMEISHO), que deve ser solicitado na empresa que a pessoa está trabalhando;
  • Original do Atestado de Residência (GAIJIN TOROKU SHOMEISHO), que deve ser solicitado na Prefeitura local;
  • Cópia da Carteira de Identidade de Estrangeiro (GAIJIN TOROKU) frente e verso;
  • 3 últimos Holerites;
  • Kosseki Tohon;


De posse do Certificado de Elegibilidade, aparentado deverá envia-lo para o Brasil, para que dê entrada no visto no Consulado Japão.